Instituto Memória - Centro de Estudos da Contemporaneidade Instituto Memória - 15 anos Instituto Memória - Televendas - 41.3016 9042
 

PESQUISA
Pesquisa por Título ou Autor/Colaborador:

Texto da Pesquisa:


clique na capa para ampliar

PROTESTOS - Diálogos (Im)pertinentes

Autor: Coletânea - Anthony Leahy (Organizador)
Páginas: 100 pgs.
Ano da Publicação: 2014
Editora: Instituto Memória
Preço: R$ 30,00

SINOPSE

“Vocês que fazem parte dessa massa,
Que passa nos projetos, do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais, do que receber.
E ter que demonstrar, sua coragem
A margem do que possa aparecer.
E ver que toda essa, engrenagem
Já sente a ferrugem, lhe comer.”

                                Zé Ramalho

 

Saúde pública em efetiva falência!

Segurança Pública em efetiva falência!

Educação Pública em efetiva falência!

Corrupção endêmica na política nacional!

Dezenas de milhares de pessoas saíram do conforto de seus lares e tomaram as ruas nos últimos meses, como poucas vezes se viu na história do país. Não se sabe bem pelo que protestam, afinal, antes, talvez protestem pelo sentimento generalizado de que o que está não atende às necessidades da sociedade e que uma mudança radical tem que acontecer. Um grito de alerta! Uma catarse coletiva pelo descontentamento com as desigualdades econômicas, sociais etc. Um aviso do descontentamento contra a inercia e ineficácia do Poder Público? É uma forma de deslegitimar os Poderes Públicos?

SUMÁRIO

21

APONTAMENTOS PARA UMA REFLEXÃO METAFÍSICA DO PROTESTO

Daniel Hortêncio de Medeiros

31

OS PROTESTOS POR DIREITOS

E OS DIREITOS POR PROTESTOS

Luiz Eduardo Gunther

43

PROTESTOS NA VENEZUELA

E A BUSCA DO DIÁLOGO

Eduardo Biacchi Gomes

Luís Alexandre Carta Winter

Amélia Sampaio Rossi

55

JOVENS, PROTESTOS E OS PARADOXOS DA DEMOCRACIA BRASILEIRA: PRIVAÇÃO DE DIREITOS, CRISE DE REPRESENTAÇÃO POLÍTICA E INCIVILIDADE

Francisco Cardozo Oliveira

81

AS MULTIDÕES NAS RUAS:

COMO INTERPRETAR?

Leonardo Boff

91

E AS MULHERES,

TÊM DIREITOS HUMANOS?

Marilena Wolf de Mello Braga