Instituto Memória - Centro de Estudos da Contemporaneidade Instituto Memória - 15 anos Instituto Memória - Televendas - 41.3016 9042
 

PESQUISA
Pesquisa por Título ou Autor/Colaborador:

Texto da Pesquisa:


clique na capa para ampliar

A ERVA MATE E A POLÍTICA PARANAENSE

Autor: Ana Crhistina Vanali
Páginas: 98 pgs.
Ano da Publicação: 2013
Editora: Instituto Memória
Preço: R$ 30,00

SINOPSE

A ERVA-MATE E A POLÍTICA PARANAENSE:  análise da legislação provincial para a economia ervateira (1854-1889)

A legislação da Província do Paraná sobre a questão ervateira representou um conjunto de políticas públicas extremamente original. Formuladas na maior sociedade e economia ervateira do Brasil, da América do Sul e do mundo, o Paraná na segunda metade do século XIX. A fração ervateira era a fração hegemônica do bloco no poder da Província. O atendimento a algumas de suas demandas sociais, econômicas e políticas gerou um expressivo número de leis e decretos abrangendo a erva-mate em diversos dos seus aspectos produtivos.

A exploração da erva-mate ganha volume no Estado do Paraná no início da década de 20 do século XIX, com a conquista dos mercados de Buenos Aires e Montevídeo, com  declínio e estagnação por volta de 1930.

 Se nacionalmente a exploração ervateira não teve influência significativa, regionalmente representou papel de destaque na formação social da região e do Estado.

            O mate era o principal sustentáculo da economia paranaense. Em relação à defesa desse produto de exportação e ao esforço de mantê-lo na posição de destaque nos mercados internacionais, se processam medidas de intervenção do Estado no domínio econômico, que se acentuam cada vez mais, e que constituem o tema central desse trabalho.