Instituto Memória - Centro de Estudos da Contemporaneidade Instituto Memória - 15 anos Instituto Memória - Televendas - 41.3016 9042
 

PESQUISA
Pesquisa por Título ou Autor/Colaborador:

Texto da Pesquisa:


clique na capa para ampliar

DESOBEDIÊNCIA CIVIL - Anexo: O homem tem deveres? por Valton von Tempski-Silka "Declaração dos princípios essenciais da ordem social e da República" – 1792

Autor: HENRY DAVID THOREAU - Tradução de Nélia Maria Pinheiro Padilha von Tempski-Silka
Páginas: 106 pgs.
Ano da Publicação: 2013
Editora: Instituto Memória
Preço: R$ 20,00

SINOPSE

 Se considerarmos que o movimento chamado Transcendentalismo New England defendia o indivíduo como o rebelde contra as ordens estabelecidas da sociedade, então HENRY DAVID THOREAU foi seu maior representante. Ele foi um homem que em si mesmo encarava a sociedade e o governo como carentes a quase todos os pontos de vista. Seu amigo, RALPH WALDO EMERSON, disse sobre ele: “Ele foi educado para não ter nenhuma profissão; nunca se casou; vivia só; nunca frequentou igrejas; nunca votou; recusava-se a pagar impostos ao estado; não comia carne, não bebia vinho, nunca teve o hábito do cigarro; e embora sendo um naturalista, nunca utilizou nem armadilhas, nem armas.” Para um observador moderno, a vida de Thoreau pode parecer desinteressante e monótona. Para aqueles que conhecem seus escritos, todavia, ele é um autor de estatura internacional, cujas palavras ainda podem comover e inspirar. Nasceu em 12/07/1817 em Concord, Massachusetts, onde passou toda a sua vida. Formou-se em Harvard em 1837 e fracassou em um trabalho como professor, antes de dirigir uma escola particular com seu irmão John, desde 1837, até que John caiu doente em 1841.  Emerson e sua família haviam se mudado para Concord em 1834, e Thoreau tinha o costume de morar eventualmente em sua casa. Foi quando lá se encontrava, que decidiu devotar sua vida a escrever. Ele raramente trabalhou em qualquer outra atividade, exceto no negócio de fabricação de lápis e agrimensura de seu pai. Foi a inquietação que o levou a buscar a solidão de Walden Pond, 2 milhas (3,2 km) de Concord. Construiu uma pequena cabana e mudou-se para lá em 4 de julho de 1845. Deixou Walden a 06.09.1847. Durante esse período, ele escreveu “Uma Semana à margem dos rios Concord e Merrimack”, publicado em 1849; compôs centenas de páginas em seu jornal e executou a primeira tiragem de “Walden, ou A Vida no mato” (1854). Durante sua estadia em Walden, foi forçado a passar a noite na cadeia, por deixar de pagar o imposto sobre votação. Dessa experiência originou-se uma conferência: “Desobediência Civil”. A experiência marcou um ponto decisivo. Ele jurou não apoiar um governo que permitisse a escravidão e financiasse uma guerra imperialista contra o México. Ajudou a libertar escravos através da Underground Railroad, e, no inflamado abolicionista JOHN BROWN, Thoreau encontrou um novo herói. O seu “Apelo em favor do Capitão John Brown” conta entre seus melhores trabalhos.  Thoreau só viveu mais alguns anos. Morreu de tuberculose a 6 de maio de 1862. Foi um individualista, porém de um tipo peculiar de americano. “Nós vamos para o oeste” – disse ele – “como para o futuro, com um espírito de empreendimento e aventura.” Dentre seus outros trabalhos, publicados depois de seu falecimento, estão “Vida Sem Princípio” de 1863, “Excursões” (1863) e “As florestas do Maine” (1864).